Circula na Rede Mundial de Computadores a seguinte mensagem eletrônica:

CHAVES MAGNÉTICAS DE HOTÉIS

Alguma vez você já se perguntou o que está
armazenado nas chaves magnéticas dos hotéis, que se assemelham a cartões de
crédito?

Veja as informações e mude seus hábitos:

a. Nome do  hóspede

b. RG, CPF

c. Endereço do hóspede

d. Número do  apartamento do hotel

e. Datas do check-in e ckeck-out

f. Número do cartão de crédito e sua data de validade!

Quando você as devolve  na recepção, suas informações ficam lá disponíveis para qualquer funcionário com  acesso ao ‘scanner’ do hotel.

Ou ainda, um funcionário pode  levar um monte delas para casa e, utilizando um aparelho de ‘scanner’ magnético,  ter acesso às suas informações e sair gastando pela internet.

Simplificando, os hotéis não apagam as informações das chaves magnéticas  até que um novo hóspede faça uso delas, quando suas informações subrescreverão  as do antigo hóspede. Mas até que a chave seja reutilizada, ela ficará,  geralmente, na gaveta da recepção com as suas informações que nela foram  “armazenadas”.

Resumindo:

Guarde com você suas chaves  magnéticas, leve-as para casa ou as destrua. Nunca as deixe no quarto, no lixo  do banheiro e JAMAIS as devolva para a recepção quando estiver fazendo o check-out.

Os hotéis não podem cobrar pelas chaves (é ilegal) e  você terá certeza de que não estará deixando um monte de informações pessoais
valiosas que podem ser facilmente acessadas e utilizadas, com um ‘scanner’  magnético.

Pela mesma razão, se você chegar ao aeroporto e descobrir que  ainda está carregando a chave com você, não a jogue no cesto de lixo. Leve-a  para casa e destrua com uma tesoura, cortando principalmente a faixa magnética  nas costas da chave.

Informação:
Departamento Policial Federal

Por favor, repasse para amigos e familiares!

Profº. Gledson
Barreto
FHFE – FTC EAD

Esclarecendo, ou tentando provar se tratar de uma lenda urbana:

 

Essa semana chegou por e-mail, uma mensagem de alerta, para várias pessoas do meu circulo de amizade. O alerta diz respeito às chaves magnéticas. Ao ler a mensagem enviada pelo meu sócio, pude verificar já ter recebido uma mensagem parecida há anos atrás. Na primeira mensagem o alerta partiu da Polícia da Califórnia, nos Estados Unidos. Agora a mensagem já partiu da Policia Federal, no Brasil.

O alerta afirma que quando o hospede vai embora e devolve a chave na recepção, os dados pessoais gravados, podem ser acessados por qualquer pessoa. Vamos pensar: os dados de qualquer hospede, ficam armazenados no sistema de informática do Hotel ou no cartão? Por certo, que no computador, logo, facilmente acessado por qualquer funcionário, podendo ser transferido e gravado em um PEN DRIVA, CD ou DVD. Como poderia a chave magnética, conter os dados do seu cartão de crédito, se você não sabe como vai pagar. Você não fornece número de cartão de crédito antecipadamente, mesmo que tal fato tivesse acontecido, os dados estariam no
banco de dados, jamais na chave, eis essa pode se extraviar e o hotel ficar no prejuízo.

 

Para concluir, o número do cartão de crédito é gravado no momento em que o proprietário, usuário do cartão decide pela sua utilização e jamais quando o hospede chega ao hotel. Como em um passe de mágica os dados do cartão de crédito foram parar na chave magnética, se nunca foi fornecida pelo hospede. Se você só está passando, utilizando o cartão no final, qual o motivo do HOTEL gravar seus dados nesta chave que você não vai utilizar, e em muitas vezes ainda se encontram em seu poder.

 

Que me corrijam os donos de Hotéis, gerentes, administradores, bem como, os fabricantes desses produtos. As chaves magnéticas são gravadas apenas, com o número do apartamento a ser utilizado pelo hospede, muitas vezes, cada hospede recebe um número ou código, além de conter a data de sua validade – data de entrada e data de saída. Nada mais é gravado, pelo simples fato da sua destinação. Isso mesmo! Sua função é simples; abrir a porta do quarto. A ideia dessa chave é evitar que fossem feitas duplicatas e com isso, utilizadas em furtos. Com a data de validade encerrada, perde sua funcionalidade. Já em caso de extravio, novo cartão é emitido, com novo código de acesso, automaticamente cancelando o anterior extraviado. Logo, esse e-mail de alerta, não passa de uma lenda urbana. Que me corrijam os especialistas no assunto.

Dr. Alexandre R da Silva

 

Anúncios