LINHA INOX – PROPAGANDA ENGANOSA

                               Mesmo com a vigência do CDC, as empresas e indústrias, continuam fazendo os consumidores de bobos, a criatividade é impressionante. Com o auxílio da mídia, as empresas lucram fortunas, com a venda e comercialização das linhas de produtos de INOX. O consumidor, paga bem mais caro, pelos produtos acreditando fielmente, na durabilidade e qualidade. Ledo engano da imensa maioria dos consumidores. O material empregado nestes produtos é o aço inox de estrutura Ferrítica. Milhares de consumidores que moram próximo ao mar, por certo, que adquiriram o produto em decorrência da durabilidade e resistência a maresia. Ledo engano, os aços Ferríticos não possuem resistência adequada para o ambiente à beira mar.

                               O consumidor é vitima, da ganancia das empresas. Nos últimos anos, os preços de matérias-primas como o alumínio, cobre, zinco e níquel explodiram. Com isso, os fabricantes e usuários de aço inoxidável foram afetados pelo preço alto e volátil do níquel, que flutua constantemente. O níquel é um dos constituintes comumente usados nos aços inoxidáveis austentócos. Esse material não é composto de níquel, eles consistem em regra de ferro e cromo, com o mínimo de 10,5%. Quem torna o aço inoxidável especialmente resistente à corrosão é o cromo, ora, pela composição mínima – 10,5% – não paira dúvida presença significante de ferro – motivo pelo qual, o imã adere a esse material.

                               Conforme falei anteriormente, os aços inoxidáveis são inoxidáveis devido ao seu teor de cromo que confere a eles significativa resistência à corrosão. Os fabricantes dos eletrodomésticos e os produtores da material aduzem que o magnetismo do aço inoxidável ferritico não é uma característica negativa, que de certa forma o associa ao aço carbono comum. Afirmam, pelo contrário, o magnetismo é um ativo especial destes excelentes aços inoxidáveis, diferenciando-os de outros tipos de aço inoxidável. Se isso, for verdade, deveriam explicar, a baixa atração do imã nos inox das embarcações (iates, navios, etc).

                               Uma coisa é certa, como o material é suscetível a corrosão, o consumidor deveria ser informado, já que o custo é extremamente mais elevado, do que o dos demais produtos. Não obstante, o desrespeito violador da transparência, da boa-fé, da informação – inúmeros fabricantes desrespeitam o consumidor, não garantindo a qualidade dos seus produtos. Exemplo: a Electrolux, já foi contatada diversas vezes para solucionar o problema de um consumidor que adquiriu uma geladeira de ponta, que nunca funcionou corretamente, só vindo a piorar, hoje sequer produz refrigera corretamente. Para piorar, o comerciante do produto – FAST – cobrou pela instalação, no entanto, no manual do fabricante está expresso que a instalação é gratuita. Absurdo! Contatada, quedou-se inerte. Nenhuma das duas empresas respondeu ou solucionou o problema do consumidor. Infelizmente, o desrespeito vem de todos os lados – MABE, BOSCH, CONTINENTAL, ELECTROLUX, BRASTEMP, etc.

                                Eu, mesmo sou um consumidor que foi lesado pela ideia de durabilidade, tenho um fogão e um micro de INOX que apresentam corrosão em diversos pontos. Absurdo! A compra ainda foi realizada, no período que o produto ainda estava em alta.

                               Vamos aguardar a posição das empresas. Qual será a primeira empresa, a esclarecer os fatos aos consumidores.

                               O consumidor que adquiriu o produto Electrolux, e está com um produto com defeito, que ninguém resolve o problema comprou o refrigerador abaixo:

 

OBSERVAÇÃO: com a inércia da empresa e do comerciante, foi proposta uma ação cominatória comtra as empresas.

Anúncios